sexta-feira, 19 de setembro de 2014

O senador Álvaro Dias (PSDB), candidato à reeleição, resolveu dar uma sapecada em Roberto Requião (PMDB) e declarou que ele é o único ex-governador que não recebe a aposentadoria do governo do Paraná. 

“Não a recebo desde 1993. Solicitei em 2010, mas para repassar a entidades que pediram, como o Bom Caminho e Pequeno Cotolengo, porém, alguns ‘aloprados’ falaram que eu estava agindo de má-fé e acabei recuando”, disse em sabatina realizada na Rede Mercosul/Record News, na noite de ontem (18). 

Álvaro ressaltou ainda que não usa vários recursos federais disponíveis aos senadores. “Eu não recebo auxílio moradia, que é de R$ 3,8 mil, nem a verba indenizatória, de R$ 15 mil, e a minha cota de passagem só é usada de Brasília para o Paraná”, conta.

A Caminhada na Natureza de São José dos Pinhais segue normas internacionais da Federação Internacional de Esportes Populares (IVV), (Foto: Chrystian Oliva/PMSJP)

A Prefeitura de São José dos Pinhais, por meio da Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo (Sictur) promove entre os dias 22 e 27 de outubro a Semana Municipal de Turismo. Com palestras, visitas técnicas e passeios gratuitos, a programação pretende apresentar os principais pontos de visita da Cidade, visando estimular o desenvolvimento e o debate de ações relacionadas ao turismo local.
Na segunda-feira (22) alunos do curso de Turismo da PUC de São José dos Pinhais, bem como munícipes, secretários municipais, vereadores e integrantes do Conselho Municipal de Turismo, são convidados para assistir uma palestra sobre “A importância do Turismo”, feita pelo palestrante Sergio Ruz. Após a palestra será formada uma mesa de debate com os presidentes das associações do município: ACAVIM, ACAMP, COOCASTEL e AMCAM.
A partir de terça-feira (23) começam as visitas técnicas guiadas por servidores da Secretaria. No primeiro dia alunos do 4º ano da Escola Municipal Mario Flores serão levados para conhecer a Cachoeira dos Ciganos, na área rural de São José dos Pinhais. De quarta até sexta-feira alunos de 3º e 4º ano da Escola Municipal Alexandre Bordes também serão levados para passeios, conhecendo locais como o roteiro de Eco Turismo Taquaral, o Caminho do Vinho e o Caminho das Colônias.
As atividades da Semana Municipal de Turismo se encerram no domingo (28) com a tradicional Caminha da Natureza, na Campina do Taquaral, evento que será aberto ao público. A pré-inscrição para a caminhada é gratuita, e pode ser feita no Portal da Prefeitura (www.sjp.pr.gov.br). No dia do evento a inscrição é efetivada com a doação de um quilo de alimento não perecível. Os donativos serão encaminhados para entidades assistenciais do Município. A pré-inscrição pode ser realizada até as 12h do sábado (27).


Na edição passada a Marcha para Jesus reuniu mais de 10 mil pessoas (Foto: Jorge Nikolas Camargo/PMSJP)

Com o apoio da Prefeitura, o Conselho de Pastores (Conpas) prepara para este sábado (20) a segunda edição da Marcha para Jesus em São José dos Pinhais. O evento tem o caráter de promover um momento de louvor e congregação entre os cristãs, independentemente da igreja que frequente, declara a secretária do Conselho, Miriam Ribeiro. “Nosso intuito não é o tamanho do encontro, mas sim o momento de união e de reflexão, e que essa Marcha seja constante e construtiva”.
A concentração começa a partir das 9h no Ginásio Ney Braga e segue em caminhada até a Praça do Verbo Divino. O percurso será pelas ruas Izabel A. Redentora, Marcelino Nogueira e Veríssimo Marques, que estarão bloqueadas no período do evento. A Marcha tem o apoio da Prefeitura através das Secretarias de Segurança, Cultura e Transportes e Trânsito.
Mais informações nas redes sociais da Marcha para Jesus ou pelo telefone: 9600-9798.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014


Motoristas de carros estacionados sem credencial em vagas exclusivas para idosos, pessoas com deficiência e com dificuldade de locomoção estão, a partir de agora, sujeitos a multa e remoção do veículo.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro o uso de vaga especial sem credencial é infração sujeita a multa - atualmente em R$ 53,20 - três pontos na Carteira Nacional de Habilitação e remoção do veículo.
A vaga especial é um direito assegurado por lei federal com uso regulamentado por Resolução do Contran As vagas exclusivas para idosos estão previstas na Lei 10741/03 regulamentada pela Resolução 303/08 e as vagas exclusivas para deficientes e pessoas com dificuldades de locomoção, pela Lei 10098/00, com Resolução 304/08.
A credencial é obrigatória para todos os municípios do território nacional tanto em áreas privadas - como hospitais, shoppings, supermercados e universidades, por exemplo - quanto em área pública, incluindo vagas do Estacionamento Regulamentado, desde que esses locais estejam devidamente sinalizados de acordo com os padrões do Código de Trânsito Brasileiro e Resoluções do Contran, o Conselho Nacional de Trânsito.
Têm direito à credencial, com validade em todo o território nacional, pessoas que já tenham completado 60 anos de idade, que sejam portadoras de necessidades especiais ou tenham dificuldade de locomoção. Ela deve ser fornecida pelo órgão ou entidade de trânsito da cidade onde reside o idoso, portador de necessidades especiais ou pessoas com dificuldade de locomoção.
A credencial é feita para o idoso, portador de deficiência ou pessoa com dificuldade de locomoção, independente de que ele seja ou não motorista. Ela deve ser deixada no painel do carro com a frente voltada para cima. A utilização indevida, como empréstimo a terceiros, cópia, rasuras ou falsificação, implicará no cancelamento da credencial e penalidades previstas em lei.(Cetran/MS)

Vagas de estacionamentos privados de Curitiba vão passar por uma fiscalização a partir de 1º de outubro. 

Os motoristas que usarem indevidamente as vagas destinadas a idosos e pessoas com deficiência podem ser multados. Na semana que vem, Semana Nacional de Trânsito, as secretarias municipais de Trânsito e da Pessoa com Deficiência vão promover uma campanha de conscientização em estacionamentos particulares, principalmente de supermercados e shopping centers.
Depois, em outubro, começa a fiscalização nesses locais. Segundo o diretor de fiscalização da Setran, Éder Rodrigues, sem uma operação sistemática, a verificação desse tipo de irregularidade depende de denúncias e reclamações formais.

Uma resolução do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) prevê a reserva de 5% das vagas de estacionamento para idosos e 2% para deficientes. A mesma proporção é garantida nos estacionamentos públicos. Éder Rodrigues diz que, mais do que ser punida, é fundamental que a população se conscientize do direito dos idosos e deficientes.

 
Os motoristas que desrespeitam as vagas exclusivas estão sujeitos a uma multa de R$ 53,20, a anotação de 3 pontos na carteira de motorista e até à remoção do carros do local onde está estacionado.

Nova pesquisa confirma vitória de Beto Richa já no primeiro turno

A nova pesquisa Datafolha, a sétima desde o início da campanha eleitoral, divulgada nesta sexta-feira (18) confirma a dianteira do governador Beto Richa (PSDB) na disputa do Palácio Iguaçu e com vitória já no 1° turno em 5 de outubro. Beto Richa manteve 44 % das intenções de voto e subiu seis pontos desde o primeiro levantamento de 15 de agosto. Considerados apenas os votos válidos, Richa tem 51,7% e pode vencer já no primeiro turno.

Na pesquisa Ibope de 25 de agosto, Beto Richa tem 43% e do dia 4 de setembro, 44%. No levantamento do instituto Radar de 19 de agosto, o tucano tem 44,3% e em 14 de setembro, fez 46%. Nas três pesquisas Datafolha, Beto Richa começou com 39% e nas duas últimas consultas (10 e 18 de setembro) tem 44%. Em todas as pesquisas dos três institutos, considerando os votos válidos (sem brancos e nulos), Beto Richa vence no primeiro turno. E nas simulações de segundo turno, o tucano também é vitorioso.

No Datafolha desta quinta-feira, Roberto Requião (PMDB), segundo colocado, aparece com 30%. Gleisi Hoffmann (PT), terceira colocada, manteve os 10%. Ogier Buchi (PRP) tem o mesmo 1%.

“Estou muito satisfeito. Os institutos de pesquisa comprovam o que sinto nas ruas: um grande entusiasmo dos paranaenses com a nossa campanha, com os números que o Paraná atinge hoje, uma grande confiança no nosso trabalho, uma grande confiança na nossa maneira de fazer política, com seriedade, com ética, com diálogo, com respeito às pessoas”, disse Beto Richa.

"Eu estou muito animado, todas as pesquisas de três, quatro institutos diferentes, apontam a possibilidade concreta (de vitória) já no primeiro turno. Vamos redobrar o trabalho”, completa.

O Datafolha também apontou a rejeição dos candidatos. A maior rejeição é de Requião, que tem 25%. Na sequência, aparecem Gleisi Hoffmann (20%), Beto Richa (18%), Ogier Buchi (10%), Tulio Bandeira, do PTC, 10%; Bernardo Pilotto, do PSol, 10%; Geonisio Marinho, PRTB, com 9%, e Rodrigo Tomazini (PSTU), 9%.

O Datafolha fez uma simulação de segundo turno entre Beto Richa e Requião. Richa vence com 51% dos votos, 15 pontos à frente de Requião, com 36%.

O Instituto Datafolha fez sua pesquisa entre os dias 17 e 18 de setembro e entrevista 1.280 eleitores de 46 cidades paranaenses. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. Registrado sob o número PR-00035/2014 no TR e BR-00665/2014 no TSE, o levantamento foi contratado pelo jornal Folha de S. Paulo e RPC TV, ao custo de R$ 81.415,38.


Datafolha divulgado nesta quinta-feira, 18 de setembro:

Beto Richa (PSDB): 44%
Requião (PMDB): 30%
Gleisi Hoffmann (PT): 10%
Ogier Buchi (PRP): 1%
Bernardo Pilotto (PSol): 0%
Geonisio Marinho (PRTB): 0%
Rodrigo Tomazini (PSTU): 0%
Tulio Bandeira (PTC): 0%
Brancos e nulos: 6%
Não sabe: 9%

A última pesquisa Ibope divulgada na terça-feira (16) revela que foi na região Sul que o candidato do PSDB a presidente, Aécio Neves, mais ampliou a sua intenção de votos. 
Segundo comparação entre esta pesquisa recente com o Ibope anterior, Aécio Neves passou de 17% para 23%. De acordo com o cientista político Benedito Tadeu César, professor aposentado da UFRGS, entrevistado pelo jornal "O Globo", a reação de Aécio na região se deve a dois fatores: a ligação a candidatos que lideram as pesquisas nos estados do Sul - Alvaro Dias para o Senado e Beto Richa para o governo no Paraná, e Ana Amélia, do PP, para o governo do Rio Grande do Sul - e ao efeito antecipado que a campanha de ataques movida pela coligação petista deverão provocar em outros colégios eleitorais. 

Segundo o especialista, esse efeito já havia sido sentido em pesquisas locais. Ainda na comparação entre as duas pesquisas Ibope, Marina Silva caiu de 34% para 26% na região Sul, uma redução de 8 pontos percentuais. 
Nessa região, Dilma Rousseff (PT) também caiu, passando de 37% para 34%.
A menos de três semanas para o primeiro turno, o PT lidera as pesquisas em apenas uma disputa estadual dentre os dez maiores colégios eleitorais do país. Somente três candidatos da sigla aparecem em segundo lugar, enquanto outros quatro estão na terceira colocação ou abaixo. Nas duas unidades da federação em que abriram mão de nome próprio para apoiar um partido aliado, as chapas dos petistas também aparecem em desvantagem. As informações são de André Gonçalves na Gazeta do Povo.

O fraco desempenho do partido nesses estados, que concentram 76% dos votantes do país, é um obstáculo para a candidata da legenda, Dilma Rousseff, na corrida presidencial. A situação está mais complicada em São Paulo, Bahia e Paraná, onde a oposição aparece com chances de conseguir a maioria para fechar o pleito no primeiro turno.

O único oásis petista no momento é Minas Gerais. Na terra natal de Aécio Neves (PSDB) e Dilma, o ex-ministro do Desenvolvimento, In­­dústria e Comércio, Fer­­nando Pimentel (PT), tem 43% das intenções de voto contra 23% do tucano Pimenta da Veiga, de acordo com o Ibope. O cenário mineiro é particularmente ruim para Aécio, que, além de distante de Dilma e Marina nas eleições para o Planalto, pode perder uma hegemonia de 12 anos no comando do governo mineiro.

O favoritismo recente do PT em Minas contrasta com a situação nos únicos dois estados entre os dez de maior eleitorado que são administrados atualmente pelo partido. No Rio Grande do Sul, Tarso Genro busca a reeleição e está em segundo lugar, atrás da senadora Ana Amélia Lemos (PP) – 28% a 37%, segundo o Datafolha. Na Bahia, Paulo Souto (DEM) tem 46% contra 24% do petista Rui Costa, candidato do governador Ja­­ques Wagner, de acordo com o Ibope.

Em São Paulo, maior co­­légio eleitoral do país, Ge­­raldo Alckmin (PSDB) aparece no Datafolha com 49%, mais que o dobro do segundo colocado, Paulo Skaf (PMDB), que soma 22%.

Apos­­ta pessoal do ex-presidente Lula, o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (PT) tem apenas 9%. A rejeição dos eleitores paulistas ao petismo têm sido fundamental para a ascensão de Marina Silva (PSB), que na mesma pesquisa desponta com 40%, contra 26% de Dilma e 16% de Aécio.

No Paraná, a lógica muda. Enquanto a senadora Gleisi Hoffmman (PT) tem 10%, atrás de Roberto Requião) (PMDB), com 28%, e Beto Richa (PSDB), com 44%; Dilma está empatada tecnicamente com Marina na preferência dos paranaenses, com 32% contra 28%. A mesma sondagem do Datafolha coloca Aécio com 22%.

No Pará e em Pernambuco, o PT não lançou candidato próprio e apoiou candidatos de legendas da base aliada ao governo Dilma. Na disputa paraense, os petistas estão na chapa de Helder Barbalho (PMDB), que aparece com 38% contra 42% do atual governador, Simão Jatene (PSDB), segundo o Ibope. Na pernambucana, o partido está na coligação de Armando Monteiro (PTB), que está com 32% contra 38% de Paulo Câmara (PSB), pelo Ibope.

Por Josias de Souza

Dono de um olfato que lhe rendeu 58 anos de exercício de mandatos eletivos, José Sarney fareja um 2014 áspero para seus aliados do PT. Começa a enxergar o mundo de ponta-cabeça. Acha que a entrada de Marina Silva na disputa sucessória provocou “um tsunami político”. Avalia que “em torno dela se criou uma frente robusta de combate ao PT e ao governo Dilma, abrindo uma possibilidade antes considerada impossível: derrotá-los.”

“Para fugir da ameaça de derrota, pensaram alguns líderes do PT até mesmo em fazer Lula candidato”, constata o morubixaba do PMDB. O calendário já não permite a troca de candidato. Talvez nem adiantasse, insinua Sarney: Lula “parece também ter sido atingido pelo maremoto e ter perdido a aura da invencibilidade, embora mantenha seu carisma e ainda seja a maior liderança política do país.”

As avaliações de Sarney constam de um artigo pendurado nesta quarta-feira (17) no seu site. Publicado originalmente no diário espanhol El País, há uma semana, o texto passara praticamente despercebido. Chama-se ‘O Brasil em um labirinto’. Ecoa em público um pessimismo que os aliados de Dilma só ousam sussurrar em privado.

Na definição de Sarney, os apoiadores que potencializam as chances eleitorais de Marina “são os mais ecléticos”. Na área política, ele inclui pedaços do próprio conglomerado governista. Menciona “alas descontentes do PT e o incalculável número de grupos dos partidos aliados queixosos do tratamento recebido da presidente Dilma e da direção do PT.”

“A sensação dos aliados”, anotou Sarney, é a de que Dilma e o PT “fizeram de tudo para massacrá-los nos Estados, criando confrontações e arestas, e que agora há oportunidade para reagir.” Com rara sinceridade, o coronel do PMDB incluiu seu próprio partido na banda dos revoltados.

“Muito dividido”, qualificou Sarney, o PMDB “só não vota contra Dilma por causa do vínculo de sua participação na chapa” encabeçada pela candidata do PT. “De simples adereço”, escreveu o senador, “Michel Temer passou a ser decisivo para a vitória.” Fora da política, juntaram-se ao redor de Marina, pelas contas de Sarney, quatro forças:

1. “Os indignados que há pouco mais de um ano provocaram um barulho imenso no país”. Alusão aos protestos que lotaram o asfalto em junho de 2013.

2. “Seus até recentemente frustrados seguidores” da Rede Sustentabilidade.

3. “As fortes correntes e igrejas evangélicas, que a têm como representante''.

4. “As classes conservadoras, descontentes com as políticas econômica, externa, energética, agrícola, portuária e fundiária.”

Marina tem declarado que, se eleita, governará “com os melhores de cada partido”. Diz apreciar o PMDB de Pedro Simon e de Jarbas Vasconcelos. E costuma mencionar José Sarney e Renan Calheiros como protótipos da “velha política”, que gostaria de enviar à oposição.

Aboletado no poder desde a chegada das caravelas de Cabral, Sarney não parece cultivar a pretensão de deslizar o seu grupo de apaniguados políticos para dentro de um hipotético governo Marina. Desde logo, ele retribui a antipatia dela: “Marina Silva é uma figura carismática, mística, dogmática, preconceituosa e intransigente.”

Sarney dá a entender que, na Presidência, a antagonista de Dilma seria um salto no escuro. “Marina Silva é uma incógnita. A figura de hoje nada tem a ver com sua radical história de guerreira dos seringais. Senadora por dezesseis anos — em parte dos quais ocupou o Ministério do Meio Ambiente de Lula —, deixou uma marca de radicalismo, como fundamentalista, de capacidade limitada, preferindo sempre a confrontação ao diálogo, e buscando não o entendimento, mas a conversão.”

Na opinião de Sarney, o histórico religioso de Marina interfere negativamente na atuação política dela. “Sua formação é das Comunidades Eclesiais de Base, mas agora é evangélica ortodoxa, considerando que o mundo se reparte entre os destinados à salvação e os condenados à perdição.”

Na noite de terça-feira (16), num comício de Lobão Filho (PMDB), seu candidato ao governo do Maranhão, Sarney disse mais ou menos a mesma coisa, com outras palavras: “A dona Marina, com essa cara de santinha, mas [não tem] ninguém mais radical, mais raivosa, mais com vontade de ódio do que ela. Quando ela fala em diálogo, o que ela chama de diálogo é converter você.'' (divirta-se assistindo ao vídeo lá no rodapé)

Sarney parece enxergar em Marina uma dessas evidências de que a palavra “possível” está contida no vocábulo “impossível”. O coronel maranhense anotou em seu artigo: “Em política há uma lei inexorável: o impossível sempre acontece. No Brasil, várias vezes a tragédia teve consequências drásticas, provocando grandes mudanças.”

O cacique foi aos exemplos: “o suicídio de Getúlio Vargas, que, já praticamente deposto, com a bala no peito atinge os adversários; o derrame cerebral e a morte de Costa e Silva, que levam a um golpe dentro do golpe, desaguando numa Junta Militar e numa nova Constituição outorgada; a morte do Presidente Rodrigues Alves, eleito pela segunda vez, atingido pela gripe espanhola; Tancredo Neves, eleito para fazer a redemocratização, adoece no dia da posse e em seguida morre.”

Para Sarney, Marina Silva encarna um desses momentos que prenunciam grandes mudanças. “Sessenta dias antes da eleição, num desastre aéreo, desaparece o candidato a presidente Eduardo Campos. A comoção toma conta do país, mas não é ela a consequência maior. É a ressurreição de Marina Silva, que na eleição anterior obteve 20 milhões de votos.”

Sarney avalia que “a energia inicial” da onda Marina esgotou-se na produção de dois efeitos. Num, a eleição foi empurrada para o segundo turno, provocando “uma disputa acirrada, em que tudo pode acontecer”. Noutro, o PSDB, “maior partido de oposição”, que tem em Aécio Neves um “excelente e talentoso candidato”, terminou “imprensado pela guerra entre as duas candidatas originárias da esquerda.”

Os elogios a Dilma, por escassos, foram confinados num mísero parágrafo do artigo de Sarney. Nele, lê-se que a presidente, “com seu forte caráter de chefia, já conquistou seu espaço como administradora e não é mulher de jogar a toalha ou aceitar humilhação.”

A despeito do ânimo de Dilma, Sarney revela-se um personagem inusualmente inseguro: “A campanha atingiu um alto grau de violência, com ataques rasteiros”, escreveu, sem dar pseudônimo aos bois violentos. “O quadro é de pesquisas nervosas, esquizofrênicas, que indicam que tudo pode acontecer. As sondagens —e são muitas— sempre mostram uma vantagem de Dilma no primeiro turno e a vitória de Marina no segundo turno, que exige maioria absoluta.”

Traduzindo o sentimento que lhe invade a alma, Sarney sentenciou: “A palavra certa para a atual situação brasileira é perplexidade.” Ao trocar seu raciocínio em miúdos, ele esboçou um cenário que é oposto ao que se verificou em 2010, quando Dilma foi alçada da condição de poste para a poltrona de presidente.

“O Brasil perdeu o otimismo, há um alto aquecimento do censo crítico, desapareceu a sacralidade das políticas sociais.” Como se fosse pouco, Sarney insinuou que o patrono de Dilma já não parece disposto a defendê-la a qualquer custo. “O presidente Lula dá sinais de não desejar engajar-se num pacto de morte e se afasta de um duelo fatal. O quadro é de um labirinto. Mistério e imprevisão.”
Justiça proíbe Requião de mentir que congelou a tarifa da luz

O TRE proibiu o senador Roberto Requião (PMDB) de mentir que congelou a tarifa da energia elétrica em sete anos da gestão anterior. A decisão, assinado pelo juiz Lourival Chemin, esclarece: “É sabidamente inverídico que houve congelamento da tarifa de energia. Para isso, basta verificar no site da Copel os reajustes aplicados .”

De 2003 a 2009, Requião aplicou na conta de luz dos paranaenses um reajuste acumulado de, pelo menos, 30,47%. Este índice vale apenas para os consumidores adimplentes. Para quem não pagou a conta de luz em dia no período, o reajuste acumulado nos sete anos de Requião foi de até 62,39%.

Esta é a terceira vez que a Justiça proíbe Requião de mentir sobre a luz. Como ele infringiu novamente a lei eleitoral, a nova sentença o obriga também a tirar seu site do ar por 48 horas, além de multa de R$ 20 mil.
O doleiro Alberto Youssef foi condenado nesta quarta-feira (17) a quatro anos e quatro meses de prisão por empréstimos fraudulentos que fez no Banestado, banco estatal do Paraná que fez uma série de operações ilegais com dólar nos anos 1990 e 2000. Youssef havia sido perdoado por esse crime no acordo de delação premiada que fez em 2004. Mas, como Youssef desrespeitou a promessa de não voltar a atuar no mercado paralelo, o processo foi reaberto pelo juiz Sergio Moro. A ação penal havia sido aberta em 2003. As informações são da Folha de S. Paulo.

É a primeira condenação do doleiro desde que ele foi preso em 17 de março deste ano pela Operação Lava Jato da Polícia Federal, sob acusação de comandar um esquema de lavagem que teria movimentado R$ 10 bilhões. Segundo decisão do juiz, a ação penal provou que o doleiro obteve um empréstimo em agosto de 1998 de US$ 1,5 milhão da agência do Banestado que fica nas Ilhas Cayman depois de pagar US$ 131 mil de propina ao diretor de operações internacionais do banco. Ele foi condenado por corrupção ativa e por gestão fraudulenta de instituição financeira.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

exposicao_coletiva_artes_plasticas_foto_ary_portugal-2533


(Foto: Divulgação/PMSJP)
A Prefeitura de São José dos Pinhais, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, promove  na próxima sexta-feira (19), às 18h30, no Museu Atílio Rocco, a abertura da Exposição Coletiva de Artes Plásticas com artistas locais e da Região Metropolitana de Curitiba (RMC).
A Secretaria de Cultura, por meio dessas exposições, pretende resgatar e valorizar os artistas, buscando a melhor forma de colocar em evidência estes trabalhos durante  o período das exposições. Para tanto, o secretário de Cultura, Amarildo Rosa, já no início da gestão, determinou que uma das salas do Museu Atílio Rocco ficasse a disposição para exposições de Artes temporárias, e também que haja parcerias com outros museus, a exemplo do Museu Oscar Niemeyer em Curitiba.
Irão participar da exposição os artistas plásticos:  Adelita Maria Wuchryn, Adriana A. Vieira Zanella, Arlene Senegaglia, Augusto C.P. de Andrade, Eliton Micael Tanázio, Erica Inamura Gondro, Ibsen Cevallos, Luzia Conceição da Luz, Maria Celina Gondro Nolli, Mauren Pinho, Orema de Freitas Machado, Orlandina de Jesus, Orlando de Souza Jr, Orlando de Souza, Roney Wilmar Erthal, Roseli Fontes, Rosi Chiuratto, Samuel Leocádio Costa, Tadeu Fernando dos Santos, Valéria Sipoli, Dulcidio Rodrigues  Fernandes Neto, Marinice Costa, Ivani Silva e Giácomo Laureanti.
Para uma das artistas que participará da exposição, Luzia Conceição da Luz, as ações voltadas para as artes plásticas e sua divulgação é de fundamental importância para todos os artistas. “A oportunidade de mostrar nosso trabalho e aproximar nossa arte ainda mais do público é muito necessária para os artistas e uma forma de popularizar nosso trabalho”, comentou Luzia que iniciou sua carreira em 1998 e já produziu mais de mil telas.
exposicao_coletiva_artes_plasticas_foto_ary_portugal-2550
(Foto: Divulgação/PMSJP)

módulo_foto_silvio_ramos_pmsjp (1)


(Foto: Silvio Ramos/PMSJP)
O prefeito de São José dos Pinhais, Luiz Carlos Setim, participou na manhã de quarta-feira (17) da entrega simbólica de mais uma Base Comunitária Móvel da Policia Militar no Município, em ato realizado nas dependências do Ginásio Max Rosenmann – Afonso Pena.
Este é o segundo módulo entregue ao Município pelo Governo do Estado e vai atender toda a Cidade. “Quando tínhamos apenas um módulo alternávamos os dias na região central com os bairros. Agora com os dois módulos possibilitaremos o serviço diariamente tanto na região central, quanto nos bairros mais distantes”, explica o capitão Cleverson Machado, comandante da 1ª Companhia do 17º Batalhão da Polícia Militar.
O prefeito Luiz Carlos Setim realizou a entrega simbólica das chaves à equipe e parabenizou a corporação. “São José dos Pinhais é um Município que cresce em desenvolvimento e em população, por isso os investimentos constantes em segurança são importantes”, comenta Setim  destacando o trabalho da Polícia Militar em São José dos Pinhais. “Esse trabalho comunitário nos bairros é muito importante, pois aproxima o cidadão e a polícia e quem ganha com essa parceria é a comunidade”.
Os dois módulos móveis contam com equipes fixas e de patrulhamento e atuarão durante o dia. A localidade é designada através de escala que é definida de acordo com a demanda de atendimentos da 1ª Cia, bem como solicitações da comunidade. Para solicitar a presença base móvel a comunidade pode entrar em contato com a 1ª Cia da PM pelo telefone: 3283-1217.

módulo_foto_silvio_ramos_pmsjp (8)
Esta é a segunda Base Comunitária Móvel da Polícia Militar em São José dos Pinhais (Foto: Silvio Ramos/PMSJP)

RDJ_8956


De acordo com dados do IBGE, nos últimos 10 anos o município viu sua população crescer 20,28%. No mesmo período Curitiba registrou um aumento de 7,96% (Foto: Roberto Dziura Jr./PMSJP)
São José dos Pinhais cresceu nas últimas duas décadas. Prova disso é que hoje a Cidade é uma das que mais atraem novos moradores na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), de acordo com dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Além deste crescimento, o Município que antes era conhecido como “cidade dormitório”, já é visto de maneira diferente e oferece diversas vagas de emprego para moradores da capital.
Entre 2004 e 2014 São José dos Pinhais teve um crescimento populacional superior a 20%, passando de 243.750 para 292.934 habitantes. Porém, este aumento da população teve início na década de 90 motivado pelo novo processo de industrialização, com a vinda de grandes montadoras. Também nesta década, em 1999, foi implantado o Caminho do Vinho, rota turística com vinícolas e cafés que é frequentada por moradores de toda região e está em constante expansão.
Para o prefeito Luiz Carlos Setim, participante nas suas primeiras gestões da chegada do setor automotivo a cidade, o crescimento é fruto do planejamento desenvolvido naquela época. “Eu acredito que a administração pública deve ter uma participação ativa no crescimento e desenvolvimento econômico dos municípios, trabalhando em conjunto com governos estaduais e federais para que seja contínua a busca de investimentos nacionais e internacionais. Foi desta maneira que trabalhamos no final dos anos 90 para trazer grandes empresas para São José dos Pinhais”, lembra.
Entre os anos de 2000 a 2010 o Produto Interno Bruto (PIB) da Cidade cresceu 360%, o ICMS quase 500% e a receita do município aumentou 260%, segundo dados da Secretaria Municipal de Urbanismo. Neste mesmo período o número de empregos cresceu 131% na indústria, 402% no comércio e 167% no setor de construções. Atualmente São José dos Pinhais tem registrados cerca de 20.350 CNPJs entre indústrias, comércio e prestadores de serviço.
Aliando crescimento e qualidade de vida, a Cidade é a terceira com melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da Região Metropolitana. “O nosso grande desafio quando há um crescimento tanto econômico quanto populacional é garantir que este crescimento aconteça de maneira consciente sem trazer prejuízo para as pessoas e transtorno para as cidades. Por isso a nossa administração, com o programa Avança São José, trabalha para que os setores ligados a saúde, a educação, a habitação, a mobilidade urbana, também estejam em desenvolvimento e garantam qualidade de vida as pessoas. Hoje nosso IDH é 0,758. Nosso objetivo é, até 2016, chegar aos 0,800” explica Setim.
Um dos setores que melhor demonstra este crescimento da economia e a inversão da relação de consumo entre São José dos Pinhais e Curitiba é o comércio. De acordo com dados repassados pela administração do Shopping São José, uma pesquisa realizada a partir do fluxo de veículos que frequentam o estabelecimento constatou que 30% dos carros que entram no shopping são de Curitiba. Mesmo percentual de clientes cadastrados no banco de dados das lojas, 12.087 moradores da capital.
Comparando o primeiro semestre de 2013 com o mesmo período de 2014, o estabelecimento teve também um crescimento de 8,49% número acima da média brasileira, divulgada pela Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers).
prefeito_setim_foto_roberto_dziura_jr-2667
“A nossa administração, com o programa Avança São José, trabalha para que os setores ligados a saúde, a educação, a habitação, a mobilidade urbana, também estejam em desenvolvimento e garantam qualidade de vida as pessoas. Hoje nosso IDH é 0,758. Nosso objetivo é, até 2016, chegar aos 0,800” explica Setim (Foto: Roberto Dziura Jr./PMSJP)

O deputado Tercílio Turini (PPS), na sessão de ontem (terça-feira, 16) da Assembleia Legislativa, deu mais um exemplo da descriminação política do governo federal ao Paraná, citando um edital publicado pelo Ministério da Defesa no jornal Folha de Londrina, segundo o qual recursos obtidos com a alienação de três imóveis na cidade, de posse da União, seriam destinados, sob forma de permuta, à execução de obras de engenharia em Canoas (RS).

 "É um contrassenso", afirmou. Turini defendeu que as verbas sejam utilizadas para ampliação da pista e instalação de ILS no aeroporto José Richa, e aprovou no plenário da Assembleia, um envio de ofício aos 54 deputados estaduais, os 30 integrantes da bancada parananense na Câmara dos Deputados e ainda os três senadores que representam o Estado para intervir junto ao Ministério da Defesa e ao governo federal para garantir esses investimentos em Londrina.
Recomendada para combater o stress



Haja Prozac

Fernando Rodrigues, na Folha de S. Paulo


Ouvi uma frase sobre a corrida presidencial que me pareceu perfeita: "Em 2002, achei que o PT estava despreparado para assumir o governo. Mas eu não sabia que o PT estaria agora tão despreparado para deixar o governo".

É uma avaliação tão cruel quanto verdadeira. Revela também o grau de subdesenvolvimento institucional do país. É claro que não há risco de disrupção, mas parece um pouco incompatível com a regra democrática que um partido entre em desespero frenético apenas porque existe a possibilidade de sair do poder a partir de 1º de janeiro de 2015.

A aparição do ex-presidente Lula, suado e descabelado, fazendo uma manifestação em frente à Petrobras é a síntese do clima atual no PT. E nem está claro que Dilma Rousseff perderá a disputa contra Marina Silva (aliás, a presidente está à frente nas pesquisas). Mas em Brasília é possível respirar um certo pânico no ar.

Só na capital da República há mais de 20 mil cargos de confiança, todos ocupados pelo petismo e adjacências. Uma derrota de Dilma Rousseff obrigará essas pessoas e suas famílias a deixarem a cidade. Por baixo, serão de 40 a 50 mil desamparados. Voltarão a seus Estados para pedir trabalho na iniciativa privada ou em algum governo, prefeitura ou sindicato sob o comando do PT.

Serão milhares de dramas pessoais. Em Harvard, nos EUA, a universidade oferece um serviço gratuito de atendimento psicológico a estudantes estrangeiros que passam um tempo por lá e depois têm de retornar para seus países. Dilma poderia pensar no assunto. Uma "bolsa psicólogo" ajudaria a manter mais calmas as pessoas ao seu lado.

Como o problema é estrutural, uma vitória dilmista só atrasará a crise existencial dos petistas. Até porque, em 2018, 2022 ou em outro momento, o partido sairá do poder. Quando esse dia chegar, as farmácias de Brasília terão de reforçar os estoques de Prozac em suas prateleiras.

Enivaldo Quadrado recebia dinheiro do PT para manter silêncio sobre contrato envolvendo desvios na Petrobras. Polícia investiga o caso em sigilo

O PODER E O CRIME - Enivaldo Quadrado (à direita), o chantagista, é pago pelo PT para manter em segredo o golpe que resultou no desvio de 6 milhões de reais da Petrobras, em outro caso de chantagem que envolve o ministro Gilberto Carvalho, o mensaleiro José Dirceu e o ex-presidente Lula
O PODER E O CRIME - Enivaldo Quadrado (à direita), o chantagista, é pago pelo PT para manter em segredo o golpe que resultou no desvio de 6 milhões de reais da Petrobras, em outro caso de chantagem que envolve o ministro Gilberto Carvalho, o mensaleiro José Dirceu e o ex-presidente Lula
A Polícia Federal já sabe quem é o homem que, em nome do PT, fazia as entregas de dinheiro a um grupo de chantagistas que ameaçava envolver o partido no escândalo de corrupção da Petrobras. Em sua última edição, a Revista Veja mostrou que Enivaldo Quadrado, condenado no processo do mensalão, prometeu revelar detalhes sobre o envolvimento de petistas com o desvio de 6 milhões de reais do cofre da estatal. Para comprar seu silêncio, o partido cedeu à chantagem.
Cumprindo pena alternativa, Enivaldo Quadrado, o chantagista, recebe pagamentos regulares em dólares americanos. O dinheiro é entregue por um homem identificado apenas como sendo um conhecido militante do PT, influente, com estreitas  ligações com os chefes mensaleiros – e que faz o serviço  cumprindo ordens do tesoureiro do partido, João Vaccari Neto.
O valioso trunfo de Enivaldo Quadrado são as informações que ele possui sobre a triangulação de uma outra chantagem. Em 2012, o publicitário Marcos Valério, outro condenado no mensalão, revelou ao Ministério Público que o empresário Ronan Maria Pinto estava ameaçando envolver o então presidente Lula e seus auxiliares, o então chefe da Casa Civil, José Dirceu, e o chefe de gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho, no assassinato do prefeito de Santo André Celso Daniel. Para evitar que isso acontecesse, o PT deu a ele 6 milhões de reais, dinheiro que saiu dos cofres da Petrobras, segundo Marcos Valério.
Enivaldo Quadrado conhece todos os detalhes da operação e guardou consigo a cópia de um contrato que formalizou o repasse milionário a Ronan Maria Pinto, o primeiro chantagista. Por isso, seu silêncio agora vale tanto.

Uma briga generalizada, envolvendo dois homens e a Guarda Municipal de Curitiba, criou um verdadeiro caos para as pessoas que aguardavam atendimento médico na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Pinheirinho, por volta das 18h de ontem (segunda-feira, 15). 
A confusão começou quando dois homens trocaram socos por um lugar na sala de espera do posto de saúde. A Guarda Municipal foi chamada para conter a briga. 
Testemunhas disseram que um dos pacientes brigões acabou sendo agredido pelos guardas municipais e acabou tendo uma perna
quebrada.

Toninho da Farmácia com o 1° secretário da Paróquia Nossa Senhora das Dores, Junior Leschnhak, e o vereador Tico Setnarski (PMDB)

O vice-prefeito Toninho da Farmácia, candidato a deputado estadual (PSC), destaca a importância dos eventos e serviços que reúnem centenas de pessoas

A área rural de São José dos Pinhais sempre foi o grande abastecedor de horti-fruti-granjeiros da cidade, e municípios vizinhos incluindo a Capital. A Agricultura, além da importância econômica via o plantio, apresenta também a economia de serviços voltada ao turismo e lazer. As festas coloniais são cada vez mais prestigiadas e os encontros reúnem centenas de pessoas. No último fim de semana, o vice-prefeito de São José dos Pinhais, Toninho da Farmácia candidato a deputado estadual (PSC), visitou três eventos no mesmo dia para prestigiar os descendentes ucranianos, italianos, entre outras etnias presentes na Colônia Marcelino, Cotia e Papanduva da Serra.
O vice-prefeito Toninho da Farmácia com a Rainha da Festa do Vinho, Tatiane Liceski, no bingo da Paróquia Nossa Senhora das Dores

“Não há melhor bate papo do que conversar com os agricultores que carregam suas histórias e a de diferentes gerações. São pessoas simples de grande cultura”, destaca Toninho da Farmácia, que conhece muito bem toda a área rural. “Na minha experiência de Prefeitura e antes como vereador, sempre fiz questão de ir pessoalmente conhecer e ver de perto como a gente pode apoiar as colônias que despontam cada vez mais para o Turismo Rural”, comenta Toninho.
Toninho da Farmácia com Laurinei Ferreira, morador na cidade vizinha de Colombo, que fez questão de visitar a Festa da Colônia Marcelino

Trabalho Feito de Coração – Toninho da Farmácia (Antonio Benedito Fenelon) possui uma trajetória de grande sucesso em São José dos Pinhais sendo a liderança política com maior aprovação nas comunidades, por isso, seu lema é “Trabalho Feito de Coração”. Dono de Farmácia, o que já diz o apelido que faz parte de sua vida, foi vereador por dois mandatos e é o atual vice-prefeito. É candidato pelo Partido Social Cristão (PSC) número 20020 em coligação com o Partido da República (PR) e o Partido Trabalhista do Brasil (PTdoB). Em agosto, após abertura do comitê central, na Rua Tenente Djalma Dutra, nº 315 (fone 3096-0020), e no Guatupê, o atendimento à população também foi ampliado para a Borda do Campo.

Texto e fotos: Marcos Rosa Filho.

terça-feira, 16 de setembro de 2014


P. S., hoje com 27 anos, explica mais como Eduardo Gaievski, ex-prefeito de realeza (Sudoeste do estado), condenado a 18 anos de prisão, usava seu poder de prefeito, pois tinha trabalho temporário na prefeitura e foi demitida "Porque eu entrei em depressão. Ele não me deu nem chance de explicar alguma coisa." relata. Segundo ela, 'Marta', professora, era a responsável por todo esquema quando Gaievski não podia aparecer: "A Marta que arranjava as mulheres para ele disse que ia ver com ele se conseguia um serviço para mim na prefeitura e para eu conseguir esse serviço eu tive que sair com ele. 

A gente foi umas duas vezes numa ruazinha perto do cemitério. A Marta levava as meninas lá e ele pegava também."


Por ser mais velha, conta alguns detalhes sobre os estupros de meninas e adolescentes. "Eu vi as meninas fazendo comentários sobre ele dizendo que tinham ganho cemzão (R$ 100,00) dele e o negócio era pequenininho e davam risada. E eram tudo de menor, eu só que era de maior na época".


Porém, detalha como se sentia abusada: "Ele usava de abuso de autoridade e não tava nem aí, se tinha gente perto ou não. Ele achava que por ele ser prefeito, podia fazer tudo que ele quisesse. Então ele abusava mesmo e a gente pobre, tem que abaixar a cabeça e ficar quieto. Ele oferecia dinheiro, às vezes R$ 200 e às vezes dava para a Marta, mas ela não me passava."


'Ele me tirou a virgindade', diz vítima de Gaievski
Segundo depoimento das vítimas, Eduardo Gaievski (PT), o ex-prefeito só aparecia na hora dos estupros. "Muito das vezes, as próprias vítimas indicavam outras amigas, em geral colegas de escola, que poderiam estar precisando de dinheiro também". "Eu estudava no (colégio) João Paulo e conheci essa amiga lá e ela já saía com ele." disse A. P., na época com 13 anos.

Segundo ela, os estupros geralmente aconteciam em motéis nas cidades vizinhas, sempre mais de uma adolescente por vez. "Minha amiga foi junto, eu e uma amiga fomos no motel, no Jetaime ali que vai para Ampére. Foi a tarde." continua o relato. A.P. disse ainda, que perdeu a virgindade com o ex-prefeito e confessa que ele não usava preservativo "Ele disse que tinha feito uma cirurgia e que não podia ter filhos, e como a minha amiga já tinha saído com ele, era verdade, que ele não precisava, não tinha nada. Daí eu acreditei e não usamos nada aquela vez. E eu sabia que ele saía com mais meninas, aí eu nunca mais saí com ele. E as outras meninas que eu falava elas diziam que ele não usava camisinha." 

'Ele gostava de ser chamado de papai’, diz vítima de Gaievski
X. S., 14 anos, deu detalhes sobre os encontros com o ex-prefeito de Realeza, Eduardo Gaievski, condenado a 18 anos de prisão. "Ele gostava de ficar com gurias mais novas tudo junto. Depois fui eu, a Aline, a Jenifer. E ele fez amor com as três" disse. Disse ainda: "Ele dizia para as gurias na hora do ato "me chama de papai".

Todas no final recebiam o pagamento "era em torno de uns R$ 150, R$ 200" continua X. S., mas quando as meninas negavam a continuar a sair com ele, começava as ameaças "Eu tava na oitava série, com 14 anos. E ele ameaçava, falava que se alguém abrisse a boca poderia acontecer alguma coisa e daí eu prometi que não ia falar nada e nunca mais saí com ele."

Para acessar os arquivos dos processos e os áudios dos depoimentos das vítimas acesse o link:


Vídeo: Link: 

para incorporar